quinta-feira, 30 de julho de 2015

simples

separar um pequeno molho de documentos para digitalizar e livrar-me dos originais. passado muito tempo, aproveitar uma insónia e digitalizá-los. demorar cerca de uma hora e meia, e achar que o molho nem tinha meio centímetro de altura. pensar que antes de separar documentos para digitalizar, tenho de pensar mais seriamente na sua necessidade. acabar e estou cheia de sono, olho para as horas e só falta cerca de trinta minutos para o despertador tocar (já sei que se me deito com tão pouco tempo, o acordar corre muito mal). aproveitar para passar a ferro.

DICA: digitalizar é uma excelente forma de ficarmos com informações sem gastar o espaço em formato papel. Mas demora tempo (muito, se pensarmos não só na digitalização mas na organização do PC ou ferramenta que usamos. diminuem os documentos antes de criaram os de formato digitar.

sábado, 25 de julho de 2015

as avós são sobrevalorizadas



gosto das conversas que ouvimos pelo caminho. saio da estação de comboio, qual manada, com dezenas de pessoas a fazermos a mesma avenida a pé. entre umas mais rápidas que outras, umas que chegam ao trabalho em prédios mais perto que outras, umas que param para um café, a manada vai-se reduzindo pelas estradas que vou atravessando e às tantas, começo a ouvir sempre as mesmas duas ou três vozes muito perto de mim. não são sempre as mesmas pessoas. mas são pessoas que, naquele dia, partilham uma história com quem vai atravessando as mesmas estradas, ao mesmo tempo e ao mesmo ritmo que elas.

hoje, de repente oiço.
                - eu não dormia. a minha avó é que tinha paciência para me dar colo e adormecer-me. achas que a minha mãe tinha paciência para isso? claro que a minha avó não ia trabalhar no dia seguinte..

sexta-feira, 24 de julho de 2015

papel de quadro no frigorífico

com a cadeirinha da papa da D mesmo ao lado do frigorífico, cedo surgiu um risco. pensámos no que poderíamos colocar no frigorífico para o proteger. finalmente, já com outra cadeirinha da papa e com outra criança lá sentada, fizemos a alteração!


quinta-feira, 23 de julho de 2015

mudar hábitos

há uns anos atrás, via que as sandálias que calçava estavam descoladas e pensava que tinha que as ir deixar ao sapateiro. chegava a casa e arrumava-as no mesmo sítio (não tenho uma zona para guardar coisas para arranjo). passado uns dias voltava a calcá-las e só na rua reparava que elas estavam descoladas. chegava a casa e repetia o anterior. passado mais uns dias pensava em calçá-las e lembrava-me que estavam descoladas mas, a roupa que já tinha vestido ficava bem com elas e não era por mais um uso que ia ficar descalça na rua. eventualmente, perto da estação seguinte lá as levava ao sapateiro, chateada por ter de arranjar coisas mas também não ter ido antes.

hoje, vejo que as sandálias que estou a calçar estão descoladas, chego a casa e ponho-as num saco preso no puxador da porta de entrada. levo-as comigo de manhã, passo pelo sapateiro entre o comboio e o trabalho, reparo que hoje abre mais tarde. deixo o saco visível na minha secretária, saio exactamente à minha hora, passo pelo sapateiro e deixo as sandálias. é preciso pagar logo e vou num instante ao MB ali perto, volto e pago, vou para a estação e, como sai logo as cinco pensando que poderia haver algum imprevisto, apanho o comboio que apanho todos os dias :)

organização vs arrumação

confunde-se muito as duas. espera-se que alguém desorganizado seja desarrumado e quem é organizado tem de ser arrumadíssimo.

ontem os vizinhos bateram à porta, deram a prenda de aniversário do S (e outra para a D, que informei que seria a última vez).

estava envergonhada, como estou sempre nos últimos tempos, com a casa suja e desarrumada. os miúdos brincavam e decidiram mudar de brinquedos, ou seja, mudar dos brinquedos da D para os brinquedos do G. como sempre, casa impecável. conversa puxa conversa e estamos nós a falar de roupa do G, da vizinha estar a pensar comprar outro armário de roupa para ele, que tem muita roupa e ela já não sabe como arranjar espaço.. abre o roupeiro e tem lá roupas de seis meses, quando o G já fez três anos há uns meses. a metade do roupeiro que cabe à D, tem menos espaço que todo o espaço destinado ao G (roupeiro e dois móveis de gavetas) mas as regras sobre a roupa deles são: tem de estar tudo no quatro deles e o que não serve não está no roupeiro (está ou num saco para devolver - tenho logo vários sacos com nome de quem emprestou, ou separado para dar ou vender)

não somos todos iguais, e não faz mal. temos é de valorizar mais o que cada um é.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

é oficial

hoje, ao passar por uma colega, diz-me: estás mais magra, estás muito mais magra.. a roupa está a começar a boiar. já passámos por isto há uns anos.

coincidência, ou não, sei desde ontem que estou oficialmente dentro do IMC dito normal!!

:)

a repensar rotinas (todas elas!)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails